top of page

Uma série, um documentário e um filme para quem curte Psicologia e Comportamento humano na Netflix

Atualizado: 30 de jan. de 2018

Atualmente é bem difícil encontrar um conteúdo original e relevante que fale sobre temáticas psicológicas ou aborde o comportamento humano de modo profundo e ao mesmo tempo midiático. Nesse post queria mencionar alguns achados disponíveis no streaming mais popular do Brasil.


1 - Bates Motel - Série



Motel Bates (no original em inglês: Bates Motel) é uma série americana que envolve drama e suspense , desenvolvida por Carlton Cuse, Kerry Ehrin e Anthony Cipriano e produzida pela Universal Television.

Trata-se de um "prólogo contemporâneo" para o filme Psycho/Psicose no Brasil, de 1960 (baseado no romance de mesmo nome escrito por Robert Bloch), que retrata a vida de Norman Bates e de sua mãe Norma antes dos eventos retratados no filme de Alfred Hitchcock.

A série é indicada para quem se interessa por temas como relação parental, especialmente entre mãe e filho e os desdobramentos desse tipo de relação que pode tornar-se doentia - e adoecedora. Aborda aspectos do comportamento psicótico e do chamado Transtorno de múltiplas personalidades. Como toda série contemporânea, o enredo traz temas adjacentes como tráfico e corrupção para prender a atenção de audiências mais imediatistas, porém os interessados em profundidade não se arrependerão em acompanhar o desenrolar da história ao longo das temporadas.


2 - Not Alone - Documentário




Após a amiga se suicidar aos 16 anos, Jacqueline Monetta parte em busca de respostas a perguntas envolvidas e difíceis diante da morte de alguém próximo por suicídio. Depois de participar de eventos e conversar com médicos e autoridades, Monetta decide ouvir aqueles que passam ou passaram por dores próximas a de sua amiga. Com uma página no Facebook, as diretoras contataram um diverso grupo de adolescentes que lida ou lidou com problemas de saúde mental. Apesar de Monetta não ser uma exímia entrevistadora, os relatos dos jovens são fascinantes por sua multiplicidade: há desde os casos clássicos de bullying e de violência que resultaram em transtorno de ordem mental , bem como pessoas sem grandes motivos aparentes para desenvolver depressão - casos esses que costumam ser muito comuns quando o tema é suicidologia - estudo do comportamento e causas suicidas realizado, na maioria quase absoluta das vezes, por profissionais da Psiquiatria ou da Psicologia. Os personagens apresentam suas visões sobre a solidão, a dor da doença, o impacto das redes sociais sobre nossa saúde mental, o escapismo da automutilação e a necessidade de busca de ajuda médica. A mensagem do documentário é bem clara: precisamos mostrar aos adolescentes que eles não estão sozinhos. São rápidos 50 minutos de filme, não há nada de grandioso ou genial na produção, é até bastante simples, porém é um filme que indico a todos aqueles interessados na temática, que atendem adolescentes ou mesmo convivem com adolescentes.




3 - Thanks for Sharing - Filme

"Thanks for Sharing" ("obrigado por compartilhar", na tradução literal), toca em um tema comum no cinema: o vício, mas aborda um vício pouco comum e por isso mesmo carregado de estigma: o vício em sexo. Em formato de terapia em grupo, estilo AA, os participantes expõem suas vidas e dramas em torno da compulsão sexual.

É o primeiro longa dirigido por Stuart Blumberg. A história vai acompanhar 3 homens que estão num grupo de ajuda para compulsivos sexuais. Adam (Mark Ruffalo) já está há cinco anos em tratamento, não tem contato com TV, computador ou celulares mais modernos a fim de evitar qualquer estímulo que possibilite o contato mais intimo com mulheres ou pornografia. Tal isolamento acaba o deixando sem saber o que fazer com a aproximação de Phoebe (Gwyneth Paltrow. Neil (Josh Gad) é um médico acima do peso que fora condenado por assediar mulheres no metrô. De início, acompanha o grupo muito mais por uma obrigação judicial, mas aos poucos percebe o quanto seu vício em masturbação atrapalha a sua vida. O terceiro é Mike (Tim Robbins), que é tido como um líder para todos os outros, mas em casa, o ex-alcoólatra não consegue confiar no seu único filho, Danny (Patrick Fugit), que está arrependido pelos erros do passado. Não se trata de um filme denso, nem aproveita o quanto poderia a temática, mas por abordar o comportamento compulsivo, os benefícios da Terapia em grupo e o sofrimento que esse tipo de transtorno pode trazer, tanto para a pessoa quanto para o seu ciclo social, merece uma estrelinha. rs.


E você que filme, série ou documentário gostaria de indicar?



Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bates_Motel

http://screamyell.com.br/site/2018/01/10/tres-documentarios-not-alone-residente-e-one-of-us/

https://cinema.uol.com.br/noticias/redacao/2012/09/09/com-leveza-thanks-for-sharing-mostra-a-dificil-vida-dos-viciados-em-sexo.htm

http://poseseneuroses.com.br/terapia-do-sexo/

27 visualizações0 comentário

Comments


Wzap 2.png
bottom of page